Fisioterapia Esportiva | Fisioesportiva

Nosso Trabalho

Fisioterapia Esportiva
Consiste da utilização de recursos avançados da fisioterapia como forma de tratamento com o objetivo de devolver ao paciente atleta condições ideais e seguras para retornar ao esporte.

Contamos com protocolos de reabilitação, que nos permitem conciliar a carga de exercícios terapêuticos respeitando os processos biológicos de cicatrização, mantendo níveis seguros de treinamento até que a função do segmento afetado seja totalmente restabelecida.

Nossa estrutura permite que o paciente percorra todos os níveis da reabilitação até o momento da alta e retorno ao esporte.

Sempre vamos associar a filosofia da osteopatia ao quadro clínico do paciente e sua reabilitação.

Durante o período de reabilitação, são utilizadas técnicas osteopáticas junto com recursos básicos da fisioterapia, como cinesioterapia, eletroterapia e termoterapia. Evoluindo para mecanoterapia, propriocepção, pliometria, treino de gesto esportivo e, por fim, retorno ao esporte.

Desta forma acreditamos oferecer o tratamento ideal para diversas desordens ortopédicas. Algumas delas:

Joelho – lesões meniscais, condromalacia patelar, reconstruções ligamentares (LCA/LCP), próteses e fraturas.

Ombro – Síndrome do impacto (lesão do manguito rotador, acromioplastias), luxações recidivantes, próteses e fraturas.

Tornozelo – entorses, lesões ligamentares, fraturas, artroscopias em geral.

Clique para ampliar:
Osteopatia
A osteopatia é uma terapia manual e uma filosofia de tratamento nascida nos Estados Unidos no fim do século XIX e início do XX. Seu criador foi o médico Andrew Taylor Still, que desapontado com as práticas e resultados da medicina da época resolveu mudar sua forma de enxergar as doenças.

Após anos de estudos e de análises dos resultados de sua nova terapia em seus pacientes, criou então 4 princípios básicos da osteopatia,, que seguem atuais até hoje:

• O corpo é uma unidade – Still queria dizer que o corpo deve ser avaliado e tratado como um só, e não segmentado. Ou seja os sistemas do corpo são interligados. Afinal, muitas vezes os sintomas estão relacionados com áreas do corpo que são assintomáticas.

• A estrutura governa a função – quando temos uma estrutura do corpo (músculo, articulação ou órgão) que está íntegro, ela tem uma capacidade total de exercer sua função perfeitamente, cabendo ao osteopata reestabelecer essa função.

• A auto cura – Still percebeu que o corpo humano tende sempre à cura, e que nosso papel é auxilia-lo nessa tendência.

• Lei da artéria – Para que uma estrutura do corpo tenha uma boa função é necessário que ela tenha um bom aporte de sangue, e o osteopata deve auxiliar, através de suas avaliações e técnicas as estruturas a terem esse aporte.

Cabe então ao osteopata, avaliar o corpo como um todo e tratar sempre as áreas de disfunções que ele encontrar. Muitas vezes a área sintomática não será o foco do tratamento.

As áreas de disfunção podem estar no sistema musculo esquelético (músculos, articulações, nervos etc), no sistema visceral (qualquer órgão do corpo) ou no sistema craniano (articulações do crânio e suas meninges).

Essas áreas de disfunção, normalmente criam ao seu redor áreas de hiperfunção ou de sobrecarga. E são nessas áreas de sobrecarga que aparecem as queixas do paciente.

O tratamento osteopático é feito todo com as mãos, e normalmente precisa de alguns dias de intervalo entre uma sessão e outra. É nesse intervalo que o corpo do paciente vai se reorganizando até alcançar a cura.

As indicações da osteopatia são muito variadas. Entre elas:

• Dores músculo-esqueléticas (tendinites, bursites, hérnias de disco, lombalgias, cervicalgias, ciáticas etc.);

• Cefaléias;

• Tratamentos pós cirúrgicos ortopédicos (hérnias de disco, cirurgias de joelho, ombro etc);

• Pode ainda auxiliar muito no tratamento de disfunções do sistema visceral, como gastrites, colites etc.

Clique para ampliar:
Posturologia
Acreditamos também que a postura viciosa do paciente seja causa fundamental de doenças e disfunções.

Nosso trabalho consiste em avaliar e tratar o que está prejudicando a postura do paciente. Entre as causas mais comuns de origens de posturas viciosas estão os tipos de pés (pisada), diferenças de comprimento dos membros inferiores, cicatrizes, alterações na mobilidade dos olhos, alterações de mordida e bloqueios articulares.

Um ou mais problemas como os citados podem fazer com que o peso do corpo do paciente não seja bem distribuído e crie áreas de grande estresse mecânico como compressões, estiramentos e cisalhamentos.

Essas áreas de estresse mecânico são constantemente áreas de queixa de dor pelo paciente.

Nossa intervenção por exemplo em pés disfuncionais consiste na prescrição e colocação de palmilhas que auxiliem a correção postural. No caso de a mobilidade dos olhos participarem da alteração postural, a ginástica ocular é indicada.

O tratamento de posturologia se adequa muito bem a outros tratamentos, como a própria osteopatia, RPG, pilates etc.

Clique para ampliar:

Fisioesportiva - Fisioterapia Esportiva

Rua Cerro Corá, 580 - Alto da Lapa - Academia Ecofit Club - sala 7 - São Paulo- SP | Fone: (11) 3021-5127 contato@fisioesportivafisioterapia.com.br

Desenvolvido por jokenpodesign